PSPE
PSPE
10 Out
Dia Mundial da Saúde Mental: “É crucial eliminar o estigma e discriminação”

Dia Mundial da Saúde Mental: “É crucial eliminar o estigma e discriminação”

Sara Cerdas considera o suicídio um dos grandes desafios para a saúde pública. É “crucial eliminar o estigma e discriminação que está associado à doença mental, sendo urgente apostar na criação de estratégias para implementar programas que promovam a saúde mental e o bem-estar ao longo da vida”, afirmou.

 

No Dia Mundial da Saúde Mental, a deputada promoveu um evento no Parlamento Europeu destinado a discutir a prevenção do suicídio. Um encontro de utentes, especialistas em saúde mental e políticos para uma discussão alargada, “no sentido de alavancar compromissos entre todas partes, que advenham em melhores resultados em saúde e na criação de soluções para as doenças mentais.”

 

Estratégias que “permitam um aumento dos serviços de apoio social e de cuidados de saúde mental que respondam às necessidades da população, em especial às populações mais vulneráveis”.

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a cada 40 segundos alguém coloca termo à vida. O suicídio é responsável por quase 60 mil mortes anuais só na União Europeia, “mortes que podem e devem ser evitadas.”

 

A depressão é uma das principais doenças mentais e a principal causa do suicídio. Uma vez que grande parte destes doentes não procura ajuda, devido ao estigma e discriminação associado, “os doentes com a patologia não têm o tratamento adequado, sendo por isso necessário continuar a existir campanhas de sensibilização” defendeu Sara Cerdas.

 
 
 

Inscreva-se e receba notícias dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu