Industrialização verde

Industrialização verde

21.05.2020

Carlos Zorrinho defende que “ou mudamos ou perdemos o comboio da nova economia com consciência social e ambiental que tem de emergir das ruínas da devastação pandémica”. A opinião é expressa num artigo publicado no jornal I. “Vivemos as últimas décadas num quadro global insustentável, com uma população crescente puxando pela procura de bens e serviços e um modelo industrial incapaz de lhe responder sem aumentar o volume de emissões indutoras do aquecimento global e das alterações climáticas”, descreve.

“A grande dependência das cadeias de fornecimentos globais tem de ser combatida. A resposta não é o fechamento, mas a integração das cadeias de valor de forma a assegurar o seu controlo partilhado. O atraso na digitalização dos processos tem de ser recuperado. A resiliência e a sustentabilidade têm de ser a base da recuperação da economia europeia e, em particular, da sua indústria”, argumenta Carlos Zorrinho.

Para a nova Estratégia Industrial Europeia os socialistas e social-democratas propõem “uma regulação inteligente que combata as desigualdades e as insuficiências do mercado único, apoiando a ciência e a inovação, qualificando e valorizando os trabalhadores, protegendo os consumidores, apostando na neutralidade carbónica e na economia circular e promovendo a ética e a responsabilidade social nas relações económicas e nas plataformas empresariais físicas ou virtuais em que elas se vão desenvolver”.

“É mais fácil propor do que fazer, mas não temos alternativa”, constata.